sexta-feira, 16 de outubro de 2009





DEVANEIO

Eu escrevo, pelo dom de existir.
E, por viver, ter alma pra sentir.

Eu escrevo não porque apenas sinto.
Mas pela mágica fogosa do instinto.

Eu escrevo, não por força da magia.
Mas por ser, mais que poeta, poesia.


Kátia Drummond
The Travelling Poet


2 comentários:

Fred Matos disse...

antes de poesia fostes
fada da fantasia
a prima mais querida
a mais lúcida
a mais sábia

mas qual de nós saberia
que a ti tocaria a poesia
e a mim o verso vulgar
asas quebradas
pássaro sem ar

beijos

Kanauã Kaluanã disse...

E se em tuas veias, devaneias...
Se em teu pulso, a poesia divaga
É porque, em epifanias, dilata-se em beleza e escorre-te pela alma.

Sensibilíssima és.

Abraços.

Katyuscia.