sábado, 5 de setembro de 2009


EFÊMERA

Pensar-te em palavras, é muito pouco.
Mais ainda, em estrofes aceitar-te.
Em versos, abraçar-te, nem pensar!

Somente em utopias, como um louco,
em plena poesia posso amar-te.
Até que um outro surja em teu lugar.


Kátia Drummond

Imagem: Justin Hutchinson

Um comentário:

Kanauã Kaluanã disse...

E tudo passa, numa efêmera tradução do tempo...
Só a utopia, alheia a ele e aliada à poesia, é eterna.

Kátia, agora que achei a trilha para as tuas palavras, minha fome de beleza se alegrou.
Muito bom ter esta ponte para o belo.

Um beijo.

Katyuscia.